Baú da Dublagem Filmes Matérias

Baú da Dublagem: O Manto Sagrado (The Robe – 1953)

   

Dráuzio de Oliveira dirigiu as duas dublagens.

A primeira produção em Cinemascope da 20th Century Fox.

Baseado no livro homônimo de Lloyd C. Douglas, “O Manto Sagrado” é um dos grandes épicos bíblicos do cinema mundial. Realizado pelo cineasta Henry Koster, o filme conta a história do centurião romano que recebeu a ordem de Pôncio Pilatos para executar a crucificação de Jesus Cristo, principalmente no que tange às consequências por ele sofridas após concluída tal missão.

A produção foi a primeira a ser realizada pela 20th Century Fox pelo processo de Cinemascope e teve um trabalho memorável realizado por Koster. Além dos aspectos de produção e direção, O Manto Sagrado brinda o espectador com a excelente trilha sonora de Alfred Newman, com um cenário bem cuidado e com um figurino de alto nível.

Por sua magnífica atuação, Richard Burton recebeu a indicação ao Oscar de Melhor Ator, mas perdeu a estatueta para William Holden por seu trabalho em Inferno nº 17, de Billy Wilder. No elenco, merecem ainda destaques as ótimas interpretações proporcionadas por Victor Mature, Jean Simmons e Michael Rennie.


Jim Backus, Jean Simmons e Victor Mature em Manto Sagrado.

Um manto, uma lenda.

Marcellus Gallio (Richard Burton), tribuno militar e filho de um importante senador romano (Torin Thatcher), é um notório galanteador, mas sente-se atraído pelo retorno de seu amor de juventude, Diana (Jean Simmons). Porém, o imperador Tibério (Ernest Thesiger) havia prometido Diana em casamento a seu regente, Calígula (Jay Robinson).

No mercado de escravos, Marcellus vence uma aposta contra Calígula por um desafiante escravo grego chamado Demetrius (Victor Mature). Irado, Calígula transfere o tribuno para Jerusalém, na província da Palestina. Marcellus liberta Demetrius e o envia para sua casa, mas este prefere servi-lo para saudar seu débito de vida e o acompanha em sua viagem à Palestina. Antes de embarcar, Marcellus encontra-se com Diana e ambos declaram seu amor um pelo outro.

Marcellus chega à Jerusalém acompanhado do centurião Paulus (Jeff Morrow), no dia exato da entrada triunfal de Jesus. Demetrius, que acompanha seu mestre, aproxima-se de Jesus e sente o desejo de segui-lo. Dias após o encontro, Jesus é preso e condenado pelo procurador Pôncio Pilatos (Richard Bonne). Marcellus é encarregado de comandar a crucificação de Jesus, e através de um jogo de dados, ganha o manto que o vestia.

Ao retornar da crucificação, Marcellus pede a Demetrius que o cubra com o Manto, porém não suporta o mal-estar que o objeto lhe causa. Demetrius, já exausto, amaldiçoa a Marcellus e ao Império Romano e foge, levando consigo o Manto. Agora, Marcellus é atormentado por visões e pesadelos com a cena da crucificação. Tibério, então, ordena que o Manto seja destruído, assim como os seguidores de Jesus. A pedido de Diana, Tibério a concede em casamento a Marcellus, mesmo acreditando que ele esteja louco.

Richard Burton como Marcellus Gallio

Versão brasileira AIC São Paulo.

A 1ª dublagem do filme O Manto Sagrado, conforme nossas pesquisas, ocorreu entre 1969 e 1970. Dráusio de Oliveira foi o diretor de dublagem deste épico, além de emprestar a voz ao ator Richard Burton, enquanto Victor Macture ficou com a voz inesquecível de Carlos Alberto Vaccari.

O filme, assim que começou a ser exibido pelas emissoras de televisão, fez também um enorme sucesso. Isso colaborou para que fosse mostrado durante toda a década de 1970 em diferentes ocasiões e emissoras.
No período da Páscoa ou Natal, sempre algum canal se lembrava de passá-lo.

Na década de 70, as emissoras ainda projetavam o filme, em película, e isso fez com que alguns trechos da dublagem tivessem uma certa distorção, mas naquela época, não havia nenhuma preocupação em manter a dublagem intacta e sempre a mesma cópia era exibida.

Na década de 1980, com a chegada do videocassete e das fitas magnéticas, como um novo recurso tecnológico para a televisão, os filmes e séries de TV foram, gradativamente, transformados para as fitas magnéticas, evitando assim o imenso trabalho das projeções.

De 1981 até cerca de 1985, as emissoras já estavam exibindo, aos poucos, sem os antigos projetores. Provavelmente, as duas dublagens co-existiram por um curto período, conforme a disponibilidade tecnológica de cada emissora.

Conforme nos relatou a Fox do Brasil, a dublagem realizada pela AIC enfrentou alguns problemas técnicos. Havia certos trechos fundamentais do filme com o áudio distorcido e não tinha, na época, tecnologia que conseguisse acertar tudo isso em película e passar para a fita magnética.

Dráuzio de Oliveira, o Richard Burton nas duas dublagens.

Assim, como O Manto Sagrado já estava afastado de nossa televisão por alguns anos, a saída encontrada foi a redublagem já em fita. A redublagem realizada pelo estúdio BKS, data entre 1982 e 1983.

Novamente, Dráusio de Oliveira foi o diretor de dublagem e dublou o ator Richard Burton. Já Carlos Alberto Vaccari, devido ao problema de saúde que sofreu há alguns anos antes, apenas narra o título da produção. Para dublar o ator Victor Macture foi escalado Arakén Saldanha que o fez de forma impecável.

Esta redublagem contou com alguns profissionais que participaram da dublagem da AIC, muitos até dublando o mesmo personagem, como Aldo César, Waldir de Oliveira, Muíbo César Cury, Neusa Azevedo, Isaura Gomes, Carlos Campanile, entre outros. Também tinha dubladores que estavam se afirmando no cenário da dublagem como Cecília Lemes e Wendel Bezerra.

O que devemos ressaltar é que esta redublagem de O Manto Sagrado comprova, de forma inequívoca, que as redublagens podem ser realizadas com uma qualidade extraordinária, bem cuidada, com um trabalhoso primoroso, onde até o diretor de dublagem foi o mesmo e as interpretações foram à altura deste grande épico.

Evidentemente, somos sempre defensores da dublagem original, pois trata-se de um trabalho artístico que, simplesmente, é descartado por algum motivo, mas parabenizamos a todos os dubladores desta redublagem, sobretudo, Dráusio de Oliveira que, como diretor, conseguiu deixar as duas dublagens equivalentes na sua qualidade.

Elenco de Dublagem:

Leia Também:  Sombra Lunar recebe versão brasileira da Unidub.
Marco Antônio dos Santos
Marco Antônio dos Santos
Professor, pesquisador de dublagem e responsável pelo blog Universo AIC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *