Cara de Um, Voz do Outro

Élcio Romar, a voz brasileira do Michael Douglas.

Romar, “boneco” de grandes atores como Dan Aykroyd, Willem Dafoe, Woody Allen e Michael Douglas.


Élcio Romar poderia ter seguido outra carreira facilmente. Cursou Direito e chegou a exercer advocacia. Trabalhou numa companhia de seguros, foi gráfico, auxiliar numa firma de auditoria e fez curso de formação de piloto militar, mas acabou não recebendo o espadim porque seu coração estava nas artes cênicas, que o fez largar todas as outras possibilidades pela oportunidade de atuar.

Apesar de ter sido uma figura muito presente nas décadas de 1970 e 1980 em frente às câmeras, Romar começou como ator trabalhando em dublagem, área onde consolidou sua carreira. Numa época onde a dublagem ainda era um setor pouco conhecido, telefonou para um estúdio e marcou um teste, sendo aprovado e dando início a um trabalho que já dura mais de quarenta anos.

Como ator de televisão começou em 1974 na novela O Rebu ao receber o papel de Alexandre. Em seguida tornou-se figura constante nas telenovelas da Rede Globo, com destaque para o personagem Ivan em O Feijão e o Sonho, Juan Carlos em À Sombra dos Laranjais, John Wayne em Marina e finalmente o preferido do seu público, o Braguinha de A Gata Comeu, onde ele interpreta um sujeito de boa índole, mas que finge ser cego para conquistar o amor da sua vida.

Atuando em A Gata Comeu, como Braguinha. Trabalho memorável ao lado de Mayara Magri.

Fazendo em sua maioria delegados, investigadores e diretores de prisão, Romar passou os anos seguintes aparecendo em outras produções televisivas, entre as quais: Mania de Querer, Barriga de Aluguel, Quem é Você, Zazá, Suave Veneno, Caras & Bocas, Força-Tarefa, Jóia Rara e Boogie Oogie, mas sempre conciliando seu trabalho com a dublagem onde era mais atuante à frente dos microfones ou dirigindo.


Ficou quase 10 anos longe das telinhas e afirma que a culpa foi tanto dele, que não procurava o pessoal de televisão, quanto dos diretores que não o chamavam. Por outro lado sentia que a televisão nunca foi a sua praia e que no teatro podia fazer personagens que dificilmente lhe seriam dados em televisão.

Leia Também:  Luis Miranda e Dani Calabresa dublam em Pets 2.

 

Trabalho com a voz.


Élcio Romar iniciou em dublagem em 1974 fazendo um coadjuvante no filme Saudades de Um Pracinha, estrelado por Elvis Presley que na ocasião teve a voz de Carlos Marques, mas que em seguida seria dublado por Romar em diversos longas. O filme estreou na TV em junho de 1974, na Rede Globo, e a partir dali a voz dele seria ouvida com frequência em filmes da emissora.

Emprestando sua voz a grandes nomes, Élcio Romar já foi em desenhos animados o Pink na dublagem original do desenho Pac-Man, Vandal Savage em Liga da Justiça, o Charada em O Batman e Batman: The Animated Series, além de Snarf em Thundercats, onde destacou-se por fazer um falsete impressionante e que até hoje está guardado na memória afetiva de muitos. Entre as séries que trabalhou vale a pena realçar suas atuações como Jonathan Smith (O Homem Que Veio do Céu), Victor Baxter (As Visões da Raven), Paul Young (Desperate Housewives), Charles P. Charlie Moore (Uma Turma Genial), Rayden (Mortal Kombat – A Conquista), Leo Hanadarko (Saving Grace) e Joseph Garrett (Jonny Zero).

Excepcional falsete em ThunderCats fazendo Snarf.

A voz do Michael Douglas.


Quando a Globo adquiriu o sucesso Tudo Por Uma Esmeralda no pacote de filmes para o ano de 1988, o astro Michael Douglas ainda não tinha uma voz considerada oficial para dublá-lo no Brasil. Seu personagem Inspetor Steve Keller do seriado São Francisco Urgente, tinha sido adaptado para o nosso idioma pelo dublador Mário Monjardim mas nada que transforma-se o Monja numa referência para continuar fazendo o ator. O filme foi parar na Herbert Richers, estúdio de confiança da Globo na ocasião, para ganhar as vozes brasileiras, e o personagem Jack T. Colton acabou sendo oferecido a Élcio Romar. “Na época não se usava essa coisa de fazer teste, o diretor dava os papéis a quem confiava”, afirma o dublador.

Leia Também:  Bat-Masterson encontra seu dublador Murilo Néri.

Ao dividir a bancada com Maralise Tartarine (Kathleen Turner) o que ele não imaginava é que acompanharia a partir dali a carreira de Michael Douglas ao longo dos próximos trabalhos, carreira essa que se encontrava em ascensão. Logo veio a dublagem da sequência A Jóia do Nilo e naturalmente ele tornou-se a voz preferida pelos clientes para interpretar o ator no Brasil, “principalmente quando a dublagem era encomendada pela Rede Globo”, realça Romar.

Em Atração Fatal dividiu a bancada com Sumára Louise (Glenn Glose), dublando pra VTI numa atuação memorável. Ainda no mesmo estúdio fez Chuva Negra ao lado de nomes como os de Júlio Chaves (Andy Garcia), Joaquim Luis Motta (Ken Takakura) e Vera Miranda (Kate Capshaw).

Um Dia de Fúria, uma de suas melhores dublagens.

Nos anos 90 foi chamado para dublar três sucessos emplacados por Michael Douglas. Em Instinto Selvagem dá voz ao detetive Nick Curran, fazendo um excelente trabalho ao lado de Vera Miranda (Sharon Stone) e Mônica Rossi (Jeanne Tripplehorn), com essa última também contracenou em Assédio Sexual onde ela dublou Demi Moore; mas em Um Dia de Fúria Élcio Romar certamente fez o seu melhor trabalho ao dar voz a Douglas, incorporando o divorciado e desempregado Tom Sanders que ao perder o controle provoca uma agitação violenta em toda cidade de Los Angeles. Na mesma década trabalhou ainda em Meu Querido Presidente, A Sombra e a Escuridão e Um Crime Perfeito.

Nos anos 2000 gravou Garotos Incríveis, Refém do Silêncio, e as comédias Acontece nas Melhores Famílias e Dois é Bom, Três é Demais. Seu último trabalho fazendo o ator foi em A Última Viagem a Vegas, então o dublador passou a se dedicar mais à direção.

Michael Douglas teve ainda filmes dublados por outros profissionais para DVD, canal fechado e VHS, além de redublagens, trabalhos que foram para São Paulo ou que por algum motivo o cliente não escalou Romar. Outros nomes que fizeram o ator foram Mauro de Almeida, Nelson Machado, Armando Tiraboschi, Carlos Campanile, Alfredo Martins, Armando Braga, Carlos Silveira, Garcia Júnior, Hélio Vaccari, Júlio Cézar, Marcelo Pissardini, Márcio Simões, Mauro Castro, Renato Márcio e Sérgio Moreno, mas ninguém se compara a Romar dando voz ao artista americano.

Leia Também:  Veja os dubladores do Anima Friends 2019.

São quase vinte filmes com a voz de Élcio, incluindo os principais sucessos da carreira excepcional de Michael Douglas, por isso fica difícil separar a voz dele do rosto do ator.

Izaías Correia
Izaías Correia
Professor, roteirista e web-designer, responsável pelo site InfanTv. Também é pesquisador da dublagem brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *