Cara de Um, Voz do Outro

Johnny Depp e seu dublador Marco Antônio.

Ator de vários rostos, mas uma só voz no Brasil.


Quem chegar à Emergência do Hospital do Rio de Janeiro vai ser provavelmente atendido pelo Dr. Marco Antônio Soares da Costa que vestindo seu jaleco branco, inicialmente não trará indícios de que também trabalha no mundo artístico. Mas, ao passar o diagnóstico, o paciente terá a sensação de estar sendo tratado pelo Dr. Doug Ross de Plantão Médico.

Marco Antônio, poderia simplesmente exercer sua profissão na área da saúde sem se preocupar com o corre-corre existente na dublagem, mas deixaria os fãs dessa arte sem uma das vozes mais conhecidas da televisão brasileira e do cinema. Além disso, ele seria privado de realizar uma paixão, o trabalho com a voz. Mesmo com ambas as funções, ele também faz locuções comerciais e institucionais.

Trabalhar como locutor foi um desejo que surgiu muito cedo, também incentivado pelas pessoas à sua volta que comentavam sobre sua boa dicção e leitura. A coincidência veio quando uma rádio foi aberta em Petrópolis bem ao lado de sua casa e ao fazer um teste acabou sendo chamado para iniciar o trabalho no dia seguinte. Foi um momento agitado lembra Marco Antônio: “trabalhava de noite na rádio e de dia fazia faculdade.” Logo em seguida começou também um curso de dublagem: “sendo radialista eu poderia exercer a função de dublador na época”, lembra Marco Antônio.

Dr. Marco Antônio durante a gravação de um documentário ao lado de Paul Mariano e Frazer Bradshaw.

O curso tinha 120 pessoas que almejavam trabalhar na Herbert Richers, mas apenas cinco foram selecionadas, entre as quais estava Marco Antônio. A partir de então traçou uma carreira de sucesso na dublagem onde interpretou conceituados atores, que graças a entonação de sua voz, a maioria são galãs que esbanjam charme nas telonas. Entre os quais: George Clooney, Val Kilmer, Brad Pitt, Cuba Gooding Jr., Chevy Chase, Hugh Grant, Tim Robbins, Matthew Modine e Billy Zane, só para citar alguns. Trabalhou em muitos desenhos animados com destaque para os personagens Rex (Toy Story), Hugh Neutron (As Aventuras de Jimmy Neutron, o Menino Gênio), Aarão (O Príncipe do Egito), Ben-Gali (Thundercats), Bonkers (Bonkers), Capitão Marvel (Liga da Justiça Sem Limites), Eddie (Os Fantasmas), Rino (O Acampamento de Lazlo), Guardião (Justiça Jovem), Gavião Negro (O Batman), Miguel (O Caminho para El Dorado), além de dar um show fazendo falsetes com interpretações como as do Pato Donald (DuckTales – Os Caçadores de Aventuras), Pica-Pau (O Novo Pica-Pau) e Pluck Duck (Tiny Toons). Também assumiu personagens de destaques em seriados, dos quais podemos destacar Billy Alan Thomas (Ally McBeal), Edward Albright (Meu Pior Inimigo), Kevin Burke (Dose Dupla), Nicholas Brody (Homeland), Joey Alvin (Três é Demais), Dr. Jerry Beene (Oliver Beene), Krycek (Arquivo X), Dr. Doug Ross (Plantão Médico), Ethan (Últimas Notícias), Ben Covington (Felicity) e Tom Hanson (Anjos da Lei), esse interpretado por Johnny Depp, ator que teria a voz de Marco Antônio por muitos anos seguidos.


 

Leia Também:  Wendel Bezerra desafia Bibi a dublar o Cebolinha.

A voz Brasileira do Johnny Depp.


Quando o longa-metragem do seriado Anjos da Lei foi exibido no dia 5 de novembro de 1988, na Rede Globo, dentro do Super Cine, nascia ali um enorme sucesso da nossa televisão, mostrando um grupo de jovens policiais que trabalhavam infiltrados entre os adolescentes. Mais do que isso, projetou o iniciante ator Johnny Depp que logo se transformou em um astro em todo o mundo.

Com a direção de Newton Matta, o seriado foi dublado na Herbert Richers e tinha um elenco de vozes que misturava nomes já conceituados da dublagem como Carmen Sheila e Orlando Prado com os iniciantes Márcio Simões, Selton Mello, Manolo Rey e Marco Antônio, esse com apenas dois anos atuando no setor e ganhava ali seu primeiro fixo ao fazer o personagem Tom Hanson, interpretado por Depp.

A carreira de Johnny Depp a partir da série teve rápida projeção, vieram assim os filmes, onde à medida que chegavam ao Brasil recebiam naturalmente a voz de Marco para a adaptação em português. Veio o sucesso Edward Mãos de Tesouras, e mesmo com o filme sendo dublado em São Paulo, fora do local de atuação do dublador, Marco Antônio acabou sendo chamado para emprestar sua voz ao protagonista. Em seguida dublou na Herbert Richers Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador e na VTI interpretou o personagem Gene Watson em Tempo Esgotado.

As várias faces de Johnny Depp, porém no Brasil, uma só voz!

Ainda no final da década de 1990 fez os filmes Donnie Brasco, Enigma do Espaço e O Último Portal. Também redublou A Hora do Pesadelo (1984) na Herbert Richers, filme que havia sido exibido no SBT com a dublagem do estúdio Elenco e Eduardo Camarão dando voz ao personagem de Johnny Depp. Apesar do ator ter recebido outras vozes no Brasil como as de: Nizo Neto, Sérgio Muniz, Marco Ribeiro, Marcelo Campos, Felipe Drummond, José Luiz Barbeito, Flávio Dias, Armando Tiraboschi, Alfredo Rollo, Sérgio Moreno, Alexandre Moreno, Tatá Guarnieri, Marcelo Pissardini, Duda Ribeiro, Alexandre Marconato, Marcelo Garcia e Jorge Lucas, a voz de Marco Antônio tornou-se a favorita do ator por aqui, principalmente ao ter realizado dublagens para os sucessos: Chocolate, Do Inferno, Janela Secreta, A Fantástica Fábrica de Chocolate, O Turista, O Cavaleiro Solitário e Caminhos da Floresta.

Leia Também:  Pensando em Dublagem: A redublagem de Excalibur.

O grande momento fazendo a voz de Depp veio, no entanto, com a franquia de Piratas do Caribe. O Capitão Jack Sparrow tornou-se um dos personagens mais consagrados da história do cinema e grande parte do seu sucesso no Brasil se deve a interpretação sem deslizes dada por Marco Antônio. Ele faz um Sparrow, irônico, bem-humorado e imortaliza a figura do pirata reunindo uma legião de fãs também da dublagem brasileira. Por esse mérito, o dublador acreditou que a distribuidora Disney reconheceria seu valor, tanto quanto se propõe a pagar até 40 vezes para um “Youtuber”, e pediu um cachê diferenciado, algo entre 6 e 7 vezes o valor normal, para fazer a voz de Jack Sparrow em Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar, mas a distribuidora não aceitou, escalando Jorge Lucas para atuar na dublagem. Por essa razão o último filme de Sparrow não recebeu a voz que marcou o ator em sua versão brasileira.

Izaías Correia
Izaías Correia
Professor, roteirista e web-designer, responsável pelo site InfanTv. Também é pesquisador da dublagem brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *