20 Loops Por Hora Colunas

Monja

“SCOOBY DOO, MEU FILHO, ONDE ESTÁ VOCÊ?!” Quem não conhece essa frase? Melhor, quem não conhece essa voz?

Antes de ser do Salsicha ela é do Mario Monjardim. Pra falar dele é simples. É só dizer que o conheci na época que eu era “perú” de dublagem, ou seja, ficava rondando as “catacumbas” da Herbert Richers pra ficar vendo o pessoal gravar, isso foi em 83. Alguns contemporâneos do meu pai da época do rádio dirigiam dublagem lá, uns até eram do elenco do programa dele na época, já na Globo.

Fiz testes com todos eles. Mas foi o Monjardim que, sem ter trabalhado com meu pai e sem nunca ter me visto na vida, me pegou pelo braço na hora e me levou à sala do Sr. Herbert – foi quando eu descobri que Herbert Richers era uma pessoa – que mandou me contratar na hora! E eu não tinha a menor experiência em dublagem e confesso, eu nem era muito bom, demorei uns dois anos para aprender a dublar.

O Monja sempre me deu boas chances e sempre com muita pa-ciência. Meu primeiro fixo em série foi ele que me deu (O Tokugawa, do anime Patrulha Estelar).


Não posso esquecer o dia que estávamos dublando uma série da BBC chamada Os Caminhos da Liberdade e eu dei uma canseira nele. Na gíria de dublagem dei uma boa de uma “engrossada”. Era um papel difícil, eu errei muito, fui ficando cada vez mais nervoso, atrasei o esquema dele e fui embora bem chateado. Quando cheguei em casa tinha um recado dele enorme na minha secretária eletrônica dizendo pra eu não ficar chateado, que ninguém era perfeito e que o resultado final tinha ficado bom e isso é que importava.

Mário Monjardim, o "Monja" como é carinhosamente conhecido.

O normal seria eu tomar uma pequena “geladeira” e, ao contrário, recebi palavras de conforto e ele continuou me dando boas chances.

Entre os seus ilustres “dublados” estão: Jack Lemmon, Jerry Lewis, Danny Keye, Pernalonga, Gene Wilder, Cantinflas, Grou-cho Marx e eu ! Ele me dublou no quadro Bruce Kane, durante uma temporada do Chico Anysio Show.

Deixo aqui essa pequena homenagem para aquele que, sem o menor interesse, me deu muitas chances, fazendo com que eu seja hoje o que sou na história da dublagem. Monja, meu amigo, você estará sempre com um cantinho guardado no meu coração! 

Oh diabo! 

Leia Também:  "Doze Anos Para Sempre" é lançado com dublagem da Audio Corp.
Nizo Neto
Nizo Neto
Ator, dublador, mágico, blogueiro e nas horas escreve para o DB - Dublagem Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *