Notícias Vida Real

Morre Luiz Manoel a voz do Fred do Scooby-Doo no Brasil

Manoel foi um dos principais dubladores da Herbert Richers.


Morreu hoje (6) no Rio de Janeiro, aos 80 anos de idade, o dublador e diretor de dublagem Luiz Manoel, uma das vozes mais consagradas da dublagem brasileira. Luiz estava afastado da dublagem desde 2015.

Com uma voz sempre jovial, ele era escalado frequentemente para dublar personagens garotões. Entre alguns destaques da sua vasta carreira estavam Fred Jones (em vários desenhos do Scooby-Doo), Mickey Mouse (Mickey e Sua Turma nos 1970), Catatau (A Arca do Zé Colméia e Zé Colméia Show), Pica Pau (na Dublasom Guanabara), Dorno (Os Herculóides), Tom (Moby Dick), Darwin (Os Thornberrys), Ed Zeddmore (Sobrenatural), Takeshi Minami (O Regresso do Ultraman), Robin (Batman na TV Cinesom), Bud Ricks (Flipper de 1964) e Tom Sawyer (As Aventuras de Huckleberry Finn).

Nas ido em Portugal em 1942, Manoel Luiz era de uma família de atores de teatro. Chegou ao Brasil aos 7 anos de idade onde fez muito sucesso no Teatro de revista. Em 1952, foi levado pelo pai, Saluquia, para participar do programa Tal Pai, Tal Filho de Milton Rangel na Rádio Nacional, onde passou a fazer pequenas locuções.


A partir de então começou a trabalhar em rádioteatro e rádionovelas como: Serra Brava (1956), Uma Vida Estranha (1956) e Uma Cidade Nas Trevas (1960). Manoel era a voz principal das crianças na emissora de rádio. Chegou a participar da gravação do disco A Vida de Nosso Senhor Jesus Cristo: O Romance da Eternidade (1959) e da peça do Teatro Moinho de Ouro (1959) exibido pela TV Rio, antes de chegar à dublagem.

Na dublagem, foi chamado por Milton Rangel para atuar no estúdio CineLab pela Herbert Richers. Luiz fez parte do primeiro elenco de dubladores do estúdio. O primeiro trabalho que atuou foi na série Histórias de Zane Grey (Zane Grey Theater), produzida para a TV Tupi do Rio, em uma parceria de pouco tempo entre Victor Berbara e Herbert Richers.

Nos anos de 1960, foi convidado para ser diretor de dublagem e chefe de produção do estúdio Dublasom Guanabara. Permaneceu no estúdio até seu fim, em meados dos anos de 1970. Nos anos de 1960, também integrou a Herbert Richers, CineCastro, e TV Cinesom, tendo nessa última também sido diretor de dublagem. No final dos anos de 1960, se retira da CineCastro.

Na Herbert, ficou conhecido por dirigir muitos desenhos animados, como Tutubarão, Vovó Viu a Uva, Formiga Atômica, Capitão Caverna, entre outros.

Izaías Correia
Izaías Correia
Professor, roteirista e web-designer, responsável pelo site InfanTv. Também é pesquisador da dublagem brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *