Críticas

Crítica: A dublagem de Homem Aranha: Longe de Casa.

HOMEM-ARANHA: LONGE DE CASA

LANÇAMENTO:
4 de julho de 2019

DURAÇÃO:
2h 10min

DIREÇÃO:
Jon Watts

GÊNEROS:
Biografia, Comédia Musical


NACIONALIDADE:
Ação, Aventura

DUBLAGEM

ESTÚDIO:
Delart

DIREÇÃO:
Manolo Rey

TRADUÇÃO:
Guilherme Menezes

ELENCO DE DUBLAGEM

Wirley Contaifer: Tom Holland (Peter Parker / Homem-Aranha)
Philippe Maia: Jake Gyllenhaal (Quentin Beck / Mystério)
Ana Elena Bittencourt: Zendaya (Michelle ”MJ” Jones)
Fred Mascarenhas: Jacob Batalon (Ned Leeds)
Márcio Simões: Samuel L. Jackson (Nick Fury)
Érika Menezes: Angourie Rice (Betty Brant)
Mário Tupinambá: Jon Favreau (Happy Hogan)
Hércules Franco: Martin Starr (Sr. Harrington)
João Cappelli: Tony Revolori (Flash Thompson)
Malta Júnior: J.B. Smoove (Sr. Dell)
Márcia Coutinho: Cobie Smulders (Maria Hill)
Fabrício Vila Verde: Remy Hii (Brad Davis)
Andrea Murucci: Marisa Tomei (May Parker)
Guto Nejaim: Peter Billingsley (William Ginter Riva)
Aline Esteves: Claire Rushbrook (Janice)
Ádel Mercadante: Numan Acar (Dimitri)
Alexandre Maguolo: Hemky Madera (Sr. Delmar)
José Santa Cruz: J. K. Simmons (J. Jonah Jameson)
Gustavo Pereira: Zach Barack (Zach)
Ícaro Amado: Jorge Lendeborg Jr. (Jason Ionello)
Anderson Coutinho: Nicholas Gleaves (Guterman)
Sérgio Rufino: Ben Mendelsohn (Talos)
Lúcia Helena: Sharon Blynn (Soren)

O tão aguardado Homem Aranha: Longe de Casa chegou e logo percebeu-se que é um filme de encher os olhos, repleto de cenas de ação competentes que exploram com eficiência imagens captadas através de drones e outros artifícios técnicos muito bem realizados. 

Mas será que a dublagem do longa cumpre bem a missão de encher os ouvidos, nos oferecendo uma boa adaptação para o nosso idioma? Basta dizer que Tom Holland, excelente ator, nada fica devendo com a interpretação de Wirley Contaifer nas suas falas em português.

Contaifer é eficiente em fazer as piadinhas tímidas de Peter Parker e até quando dubla o aracnídeo em ação, consegue passar perfeitamente o imaturo herói com uma fascinante interpretação e técnica.

Temos um Philippe Maia igualmente à vontade ao dar voz ao ator Jake Gyllenhaal (Mysterio). A cena em que a personagem faz a surpreendente revelação do seu plano, apresenta um Maia seguro, com uma atuação que flerta com a ironia e a fúria, sem perder absolutamente nada da qualidade original, como só alguém com a qualidade do dublador poderia realizar.

A dublagem da Delart está ainda recheada de talentos que dispensam qualquer apresentação. Assim podemos ouvir mais uma vez um seguro Márcio Simões na voz ao Samuel L. Jackson (Nick Fury) e uma Andrea Murucci dando conta do recado nas poucas cenas em que Marisa Tomei (May Parker) aparece. Tupinambá oferece um Jon Favreau (Happy Hogan) levemente engraçado quando necessário e também merece ser destacado.

Mas, curiosamente o elenco jovem de dubladores, que fazem os colegas de Parker,  apesar de experiente, não contribui muito para empolgar em algumas cenas. Por vezes, principalmente nos momentos mais lentos do filme, algumas falas soam mecânicas, mas não chegam a comprometer o trabalho como um todo. Desse núcleo, Mascarenhas como Jacob Batalon (Ned Leeds) é o que está mais seguro.

Manolo Rey acerta mais uma vez a mão ao dirigir essa dublagem vigorosamente e consegue com isso extrair o melhor de quase todo o elenco principal de dublagem. Sabe-se lá se por ser apenas um diretor eficiente, ou se há um carinho especial nessa dublagem que trata de um personagem marcante para sua carreira, quando fez a voz do Tobey Maguire.

Izaías Correia
Izaías Correia
Professor, roteirista e web-designer, responsável pelo site InfanTv. Também é pesquisador da dublagem brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *